Pressão para liberar aborto no Brasil é «muito grande», destaca bispo

E-mail Imprimir PDF

SÃO PAULO, sexta-feira, 4 de maio de 2007 (ZENIT.org).- Segundo Dom Orlando Brandes, arcebispo de Londrina (Paraná, sul do Brasil), a pressão para liberar o aborto no Brasil «é muito grande».

Bispo delegado brasileiro na V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, Dom Orlando destacou que o tema da defesa da vida deve constar nas discussões dos bispos na grande reunião de Aparecida.

«A pressão para liberar o aborto é muito grande. Não é de hoje que países com tradição cristã, como Portugal, Espanha e agora o México, já liberaram o aborto. E os projetos com esse fim estão em andamento aqui no Brasil», afirmou a Zenit.

«Para a Igreja, em diálogo com a ciência que não está a serviço de uma ideologia, a vida começa na fecundação», disse.

«E por isso o embrião, já no início da vida humana, tem todas as características da futura pessoa, e deve ser defendido.»

«Ele tem dignidade e direitos, ele tem uma originalidade, pois cada um de nós é original e nós fomos originalmente um embrião», disse o bispo.

Dom Orlando explicou que Igreja acrescenta outros valores a esse diálogo com a ciência que certifica a questão da vida humana.

«A vida vem de Deus, a vida é única, e Jesus Cristo se encarnou e deu mais dignidade a esta vida.»

«É imprescindível um trabalho efetivo de defesa da vida nos seus momentos mais frágeis, como dizia João Paulo II, o do nascimento e o da morte. Nós estamos eliminando a vida nos dois, com a eutanásia e o aborto», destacou o bispo.

 

Revista Digital

<div id="opt_1"></div>

Semana Nacional da Vida - 2017

Banner