Bispos destacam Evangelização da Juventude, Ano Paulino e Diretrizes Gerais

E-mail Imprimir PDF

terça: 08 de abril de 2008
 
Na oitava coletiva de imprensa da 46ª Assembléia dos Bispos do Brasil, que acontece em Itaici, Indaiatuba (SP) de 2 a 11 de abril, o arcebispo de Belém (PA) e porta-voz da CNBB, dom Orani João Tempesta acompanhou a mesa que contou com a presença do bispo da diocese de Assis (SP), dom Maurício Grotto de Camargo; o arcebispo de São Paulo, cardeal Odilo Pedro Scherer e o arcebispo de Belo Horizonte (MG), dom Walmor Oliveira de Azevedo.

Os temas tratados foram a Evangelização da Juventude, matéria discutida em plenário hoje pela manhã; o tema central da assembléia - Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil - e Ano Paulino.

Juventude

“A Igreja está fortemente empenhada em acolher o potencial evangelizador da juventude”, disse dom Maurício. Ele explicou que o Documento Nº. 85 da CNBB, que trata da ‘Evangelização da Juventude’, aprovado na última assembléia dos bispos, em 2007, frisa a preocupação da Igreja com os jovens.

Perguntado se há algum ponto específico sobre a juventude nas novas Diretrizes, o bispo respondeu que “a juventude não está num item específico”, porém “é almejada em parágrafos que tratam da pessoa, da comunidade e da sociedade, lugares onde a juventude está inserida”. Destacou ainda que o Documento de Aparecida “é uma nova luz e um novo ardor para a juventude”.

Ano Paulino

O Ano de São Paulo, proclamado pelo papa Bento XVI, será aberto dia 28 de junho e se estende até o dia 28 de junho de 2009. A Assembléia da CNBB ainda tratará desse tema. “A Igreja do Brasil trabalhará o Ano Paulino juntamente com a promoção do Ano Catequético da CNBB que acontece em 2009”, disse o cardeal Odilo Pedro Scherer. Segundo o cardeal, o destaque que a Igreja dá ao apóstolo Paulo vem do exemplo de missionário que ele representa. “São Paulo é um grande instrumento de Deus para a pregação do evangelho”, sublinhou.

Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil

“O caminho missionário em que a Igreja se encontra no contexto atual é um trabalho extremamente desafiador”, disse o arcebispo de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira. “A Igreja deve encontrar caminhos com o rosto brasileiro para assumir a missionaridade à luz do Documento de Aparecida”, completou.

O arcebispo lembrou a palavra do papa Bento XVI dirigida aos bispos brasileiros por ocasião de sua visita ao Brasil no ano passado. “O papa Bento XVI deixou claro que a Igreja do Brasil precisa marcar presença em todos os lugares”. Outro ponto observado por dom Walmor foi o desafio enfrentado pela Igreja para evangelizar nos grandes centros urbanos. “Devemos levar em conta as necessidades materiais das pessoas e ir ao encontro de uma sociedade maior”. O arcebispo classificou como “elemento essencial da evangelização”, o encontro pessoal dos fiéis com o Cristo vivo.
 

Revista Digital

<div id="opt_1"></div>

Banner