Celebrar Dia Internacional da Família: reafirmar vocação recebida por cada pessoa

E-mail Imprimir PDF

Celebrar Dia Internacional da Família: reafirmar vocação recebida por cada pessoa

O assessor nacional da Pastoral Familiar, padre Jorge Alves Filho, divulgou uma mensagem por ocasião do Dia Internacional da Família, celebrado nesta segunda-feira, dia 15 de maio. A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas em 1993. No texto, o assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) recorda a importância de cada família na sociedade, reforçando a necessidade de respeitar e proclamar a instituição que é o “berço dos relacionamentos, da educação, do respeito e da espiritualidade”.
Padre Jorge recorda a exortação apostólica pós-sinodal do papa Francisco sobre o amor na família e indica como modelo de relação o “amor que seja fecundo como o da Santíssima Trindade”. Para ele, celebrar o dia Internacional da Família, para os cristãos “deve ser motivo de reafirmarmos a bela vocação que cada pessoa recebeu para fazer parte de uma família”.
Às famílias que passam por situações especiais, uma fala de conforto e esperança: “Deus nuca as abandona”. A toda a Igreja resta “ter os braços abertos para acolhê-las, acompanha-las e integrá-las em nosso meio”.
Leia a mensagem na íntegra:

Dia Internacional da família
Celebramos hoje o Dia Internacional da Família e, nesta oportunidade, devemos nos lembrar a importância que cada família tem para a sociedade e por isso mesmo deve ser respeitada e proclamada, pois ela é o berço dos relacionamentos, da educação, do respeito e da espiritualidade. Nesses tempos, temos visto o quanto a família tem sido fragilizada e desconsiderada.
Para nós cristãos, a família precisa estar no centro de nossa atenção porque temos a consciência de pertencermos à grande família dos filhos de Deus e nosso modelo é a Sagrada Família de Nazaré.
O Papa Francisco deu-nos o presente da Exortação apostólica Amoris Laetitia, que fala sobre o amor na família, e nessa Exortação, ele nos chama a atenção de que devemos nos relacionar na família com um amor que seja fecundo como o da Santíssima Trindade:“com este olhar feito de fé e amor, de graça e compromisso, de família humana e Trindade divina, contemplamos a família que a Palavra de Deus confia nas mãos do marido, da esposa e dos filhos, para que formem uma comunhão de pessoas que seja imagem da união entre o Pai, o Filho e do Espírito Santo. Por sua vez, a atividade geradora e educativa é um reflexo da obra criadora do Pai. A família é chamada a compartilhar a oração diária, a leitura da Palavra de Deus e a comunhão eucarística, para fazer crescer o amor e tornar-se cada vez mais um templo onde habita o Espírito” AL 29.
Nós cristãos não devemos nos deixar levar pelo modismo de dizer que a família está acabada ou mesmo desagregada, isso é o que desejam aqueles que não encontram o valor sagrado da família. Celebrar este dia para nós deve ser motivo de reafirmarmos a bela vocação que cada pessoa recebeu para fazer parte de uma família. Mas também precisamos ter a consciência de que, embora existam famílias que passam por situações especiais, Deus nunca as abandona, e nós, como Igreja, precisamos ter os braços abertos para acolhê-las, acompanha-las e integrá-las em nosso meio.
Sagrada Família de Nazaré, rogai por nós.

Pe. Jorge Alves Filho
Assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB
e Secretário Executi vo da Comissão Nacional da Pastoral Familiar – CNPF

Revista Digital

<div id="opt_1"></div>

SNF2017

Banner