Mês vocacional: Dia do Padre

E-mail Imprimir PDF

Dia_do_padreA Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF) parabeniza todos os sacerdotes por este dia tão especial. Confira o artigo abaixo recordando o Dia do Padre. 

No início deste mês de agosto no qual celebramos o padroeiro dos padres, Santo Cura d´Ars, rezemos pelos nossos padres. Procuremos ajudá-los a viverem sua sublime vocação. Que perseverem em tempos difíceis mantendo a autoestima mesmo quando são rejeitados, ou agredidos como está acontecendo. O padre é representante de Deus. Num mundo onde avança a rejeição a Deus é natural que seus representantes sejam agredidos.

Todas as vocações são dadas por Deus e são sublimes. A grande e primeira vocação do ser humano é a filiação divina: tornar-se em Jesus Cristo filhos de Deus. Jesus ensinou a chamar Deus de Pai nosso. Esta vida de amor filial a Deus tem como consequência o amor fraternal aos irmãos. É o que Jesus ensinou.

Jesus deixou-nos a Igreja e nela temos vários carismas e vocações, para múltiplas tarefas que constroem na caridade um novo mundo possível: o Reino de Deus que tem início aqui e se consuma na eternidade. Um destes carismas é o serviço sacerdotal. Jesus quis ter doze apóstolos: "Jesus constituiu o grupo dos doze, para que ficassem com Ele e os enviassem a pregar com autoridade" (Mc 3,14). Ao morrerem deixaram sucessores. Assim na Igreja temos nos bispos e padres, a sucessão apostólica cuja presidência cabe ao apóstolo Pedro, primeiro papa.

Ser padre é uma vocação para o serviço. O padre é um sinal (sacramento) da presença de Jesus bom pastor no meio de seu povo. Este ser sinal de Jesus Cristo é uma vocação das mais sublimes. É uma escolha de Deus. Esta missão deve ser assumida com humildade e determinação. Ser padre é antes de tudo um serviço de amor (amoris officium) e doação desinteressada.

Com notícias de escândalos envolvendo padres, há um sentimento depreciativo em relação a eles. Todas as categorias têm seus fracos e infratores, até no meio dos doze apóstolos tinha Judas. Não se deve, porém, esquecer que os faltosos são minoria. Há uma legião enorme de sacerdotes infatigáveis no trabalho, que dão testemunho belíssimo de fé, esperança e caridade. São uma floresta que ajuda o mundo a respirar, purificando o ar. Floresta silenciosa! Infelizmente quando uma árvore cai, o barulho é grande, dando a impressão que toda a floresta está caindo.

Quantas pessoas se recordam com gratidão, de palavras, gestos e ajuda fraterna de um padre em momentos difíceis? Podemos dizer que o Brasil nasceu com a primeira missa celebrada por um padre, quando se-lhe deu o nome: Terra de Santa Cruz. Desde então os padres são presença constante na nossa história ajudando a construir uma sociedade sempre mais justa, fraterna em especial atuando na área da Educação cuja implementação no Brasil se deve aos padres.

Quero parabenizar os padres de nossa Diocese aqui no Grande ABC, pelo belo trabalho que realizam com perseverança no meio de nosso povo, são verdadeiros benfeitores de nossa população. Agradeço, sobretudo a acolhida que estão tendo de minha pessoa e meu ministério de Bispo, colocado que fui à frente deste ilustre Presbitério. Em especial agradeço a receptividade quanto às transferências necessárias para o bem de nossa Igreja. Transferências sempre dolorosas mas que, como a poda fazem renascer os brotos e da planta e florescerem com mais vigor.

O sacerdote é o amor do Coração de Jesus que se manifesta em uma pessoa.

Dom Pedro Carlos Cipollini

Bispo de Santo André-SP

Revista Digital

<div id="opt_1"></div>

Semana Nacional da Vida - 2017

Banner