Pastoral da Criança diz que espírito olímpico valoriza importância de brincar

E-mail Imprimir PDF

crianasOs Jogos Olímpicos têm uma longa história. Pensando no espírito olímpico (que envolve superação de limites, trabalho em equipe, cuidados com o corpo e a alimentação) e nos valores que as crianças podem vivenciar com isso, é possível fazer uma relação também com a importância do brincar, do movimentar-se – seja por meio de um esporte organizado ou, simplesmente, pelas brincadeiras que promovem a saúde e o bem-estar.

A Ir. Veroni Medeiros, educadora e assistente técnica da Coordenação Nacional da Pastoral da Criança falou em entrevista ao programa Viva a Vida, veiculado em diversas rádios do Brasil, sobre os Jogos Olímpicos e o que as crianças podem aprender com esse evento.
"Os primeiros Jogos Olímpicos tinham uma grande finalidade: reunir as pessoas que praticavam esportes para jogar, para brincar, para conviver. Os Jogos Olímpicos destacam a importância também do brincar. Porque essa inserção da criança na comunidade e na sociedade faz com que as pessoas, as crianças e as famílias, possam se reunir sob esse olhar olímpico e brincar", afirmou.

O espírito olímpico pode ajudar as crianças e a sociedade de maneira geral a melhorar a convivência entre as pessoas.
A educadora falou dos benefícios do esporte para as crianças.

"Uma primeira coisa é a diversão; o brincar; o jogar em grupo com amigos, irmãos, familiares; fazer amigos e participar de grupos na comunidade; aprender a seguir regras; superar a timidez; acreditar na capacidade criativa; lidar com os impulsos e a ansiedade; melhorar a coordenação motora; melhorar física e emocionalmente; criar bons hábitos e atitudes construtivas; estimular saúde, higiene. Tudo isso são benefícios que contribuem para o esporte e para a vida saudável das crianças", apontou.

Sobre a realização dos Jogos Paraolímpicos, Ir. Veroni falou que a superação dos atletas pode mostrar às crianças um grande aprendizado.

"Esse jogos mostram os direitos iguais e as atitudes de superação, é muito bom nas comunidades ou entre os atletas, perceber que mesmo com uma deficiência a pessoa pode participar com igualdade, pode vencer, essa força de vontade que mobiliza as pessoas é muito importante para esses jogos e vai facilitar a integração, o apoio para que todas as pessoas se sintam comprometidas independentes das deficiências que as pessoas tenham. O importante é querer , é se mobilizar é participar", indicou

Desde o início, os Jogos Olímpicos assumiram um papel fundamental na vida dos povos. Nesta época, eram interrompidos os conflitos e guerras entre as cidades. Os primeiros jogos reuniam as pessoas que praticavam esportes para jogar e conviver. Não imaginavam que iriam se transformar em um dos principais eventos culturais do planeta, ultrapassando os limites do esporte.

CNPF/Redação A12.

Revista Digital

<div id="opt_1"></div>