Regional Sul 2 promove formação sobre a Exortação "Amoris Laetitia"

E-mail Imprimir PDF

pastoral_familiar_sul_2A Exortação Apostólica Pós-Sinodal "Amoris Laetitia- sobre o Amor na Família" foi tema de estudo de formação organizado pelo regional Sul da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dias 24 e 25 de maio, em Curitiba (PR).

O evento contou com presença de padres coordenadores diocesanos da Ação Evangelizadora, membros das coordenações da Pastoral Familiar das arquidioceses e dioceses e de movimentos que atuam no âmbito da família.

O encontro foi assessorado por bispo de Osasco (SP) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral Vida e Família da CNBB, dom João Bosco Barbosa de Souza. Também particiou o bispo da São José dos Pinhas (PR), dom Francisco Carlos Bach.

A "Amoris Laetitia" traz resultados dos Sínodos Extraordinário e Ordinário sobre a Família convocados pelo papa Francisco, em 2014 e 2015. O documento está organizado em nove capítulos:

1) À LUZ DA PALAVRA: Tu e tua esposa, os teus filhos como brotos de oliveira, um rastro de sofrimento e sangue, o fruto do teu próprio trabalho e a ternura do abraço.
2) A REALIDADE E OS DESAFIOS DAS FAMÍLIAS: a situação atual na família e alguns desafios.
3) O OLHAR FIXO EM JESUS: a vocação da família, Jesus recupera e realiza plenamente o projeto divino, a família nos documentos da Igreja, sementes do Verbo e situações imperfeitas, a transmissão da vida e a educação dos filhos, a família e a Igreja.
4) O AMOR NO MATRIMÔNIO: o nosso amor cotidiano, crescer na caridade conjugal, amor apaixonado e a transformação do amor.
5) O AMOR QUE SE TORNA FECUNDO: acolher uma nova vida, fecundidade alargada e a vida na família em sentido amplo.
6) ALGUMAS PERSPECTIVAS PASTORAIS: anunciar hoje o Evangelho da família, guiar os noivos no caminho de preparação para o matrimônio, acompanhamento nos primeiros anos da vida matrimonial, iluminar crises, angústias e dificuldades e quando a morte crava o seu aguilhão.
7) REFORÇAR A EDUCAÇÃO DOS FILHOS: onde estão os filhos?, a formação ética dos filhos, o valor da sanção como estímulo, realismo paciente, a vida familiar como contexto educativo, sim à educação sexual e transmitir a fé.
8) ACOMPANHAR, DISCERNIR E INTEGRAR A FRAGILIDADE: a gradualidade na pastoral, o discernimento das situações chamadas irregulares, as circunstâncias atenuantes no discernimento pastoral, as normas e o discernimento e a lógica da misericórdia pastoral.
9) ESPIRITUALIDADE CONJUGAL: espiritualidade da comunhão sobrenatural, unidos em oração à luz da Páscoa, espiritualidade do amor exclusivo e libertador, espiritualidade da solicitude, da consolação e do estímulo.

CNPF com informações do regional Sul 2.

Revista Digital

<div id="opt_1"></div>