Depois de anos de casados na Igreja Católica um dos cônjuges muda de religião, o que fazer?

E-mail Imprimir PDF

Casal-de-noivos_2_-_CpiaQuando o casal vai diante do altar para selar o seu compromisso na presença de Deus, do ministro assistente e da Igreja, supõe-se que já fez uma caminhada de conhecimento mútuo e de consentimento esclarecido. Os dois vão até o altar para dizer que se conhecem, que se amam e que querem construir uma família juntos, mesmo sabendo das dificuldades que virão, pois são pessoas livres, com pensamentos diferentes.

Assim sendo, a discordância e os conflitos são naturais em um matrimônio. Os cônjuges são seres humanos, limitados, que querem crescer sempre mais, buscando a ajuda do outro que está ao seu lado. Torcer por um time diferente; votar em candidato oposto; ter opiniões distintas sobre os diversos assuntos e professar um credo distinto são aspectos que não podem atrapalhar o bom andamento do matrimônio, afinal, há muitíssimos casais que não se parecem em nada e são muito felizes, porque são respeitosos e tolerantes.

É certo que mudar de credo, igreja ou religião é trazer para dentro do lar certo desconforto, pois não foi assim desde o começo. Se existem realmente o amor, o respeito e a fidelidade, esse não pode ser um ponto que vá transformar a vida de paz e tranquilidade do casal num caos. Há de se cultivar o respeito, especialmente aquele que mudou de credo. Não deverá existir o proselitismo, tentando diminuir ou ameaçar a fé do outro. Tudo isso não faz parte de um matrimônio saudável e verdadeiro.

Enfim, se acontecer de um dos dois mudar de religião, tentem buscar o diálogo exaustivo, pois o casamento é feito de acordos e alianças entre o casal. Nada de destruir uma história inteira de amor e idealismo devido à divergência de ideias e de formas diferentes usadas para conversar com Deus. Afinal, como diz o Direito Canônico. "As propriedades essenciais do matrimônio são aunidade e a indissolubilidade, as quais, em razão do sacramento, adquirem particular firmeza no matrimônio cristão". (Cân. 1053). Cuide de si e cuide do outro, esse é o ponto fundamental de todas as Religiões verdadeiras.

Pe. José Luis Queimado. C.Ss.R - A12,


Revista Digital

<div id="opt_1"></div>

Semana Nacional da Vida - 2017

Banner