Cristão, fantástico e sem manchas

E-mail Imprimir PDF

Cristão, fantástico e sem manchasO título pode parecer exagero para alguns, mas é exatamente isso a que somos convidados a ser. Não é soberba e muito menos um objetivo inatingível, pois o chamado foi feito pelo próprio Jesus Cristo ao recomendar que devemos nos esforçar para sermos “perfeitos como o Pai celeste é perfeito”.

Mas esforço não parece ser o objetivo da maioria dos cristãos e das pessoas em geral de nosso tempo. Em matéria de religião, queremos o Deus que transforme a vida de uma única vez, que cure todas as minhas doenças, que envie um cônjuge perfeito e filhos irrepreensíveis, que faça alguém me telefonar oferecendo o emprego dos sonhos, que isso e aquilo. Em geral nos esquecemos que o Pai do Céu pode fazer tudo isso e faz. Ele nos concede incontáveis graças e sempre nos dá prova de seu amor, mas como o melhor pai de todo Universo, sabe que ajudar a carregar a cruz é melhor do que fazê-la desaparecer. Ajudar, não carregar sozinho.

Ainda que nossa parcela do peso seja a menor, andamos nos esquivando dela. Não queremos compromisso. Não é novidade para nenhum de nós que se comprometer com Cristo é mesmo arriscado. Veja os primeiros cristãos nas catacumbas. E os mártires! E hoje em dia, em alguns lugares do mundo a perseguição com ataques físicos aos cristão avança rapidamente. Em outros, a perseguição moral parece dominar e se tornam criminosos quem defende a vida, o sexo biológico conforme a natureza. E parecem que são de outro planeta e quase apedrejados aqueles que defendem a castidade, a monogamia e a abertura do matrimônio à geração da vida.

Num mundo relativizado ninguém quer se comprometer, pensa-se que, mais cedo ou mais tarde, encontra-se a salvação própria e o mundo melhor em algum fast-food da esquina. E talvez até se possa parcelar o pagamento.

Mas não, há coisas que não são assim e dependem de construção diária. Implica também em deixar para trás tudo o que corrói nossos valores. E há décadas já sabemos que muitos filmes e novelas, bem como grandes grupos políticos e empresas estão a serviço da destruição dos valores humanos. Conseguimos perceber isso, mas preferimos não acreditar e pensar que é exagero e teoria da conspiração. Seguimos achando tudo inofensivo.

Há católicos que não conseguem abrir mão de um programa de TV (por pensarem ser a única diversão numa noite de domingo), de uma marca de sabão em pó (por lhe parecer o melhor) ou de instituição bancária (por ter vínculo com ela há anos e algumas regalias). Mas, imagine como era a vida dos primeiros cristãos nas catacumbas… Por amor a Cristo poderíamos trocar o programa de TV por uma conversa em família e um momento de oração, bem como trocar o sabão em pó por um sabão artesanal feito com banha de porco e até mesmo ficar sem bancos e cartões de créditos. Difícil sim, mas teremos a alma limpa com a consciência de quem não colabora com instituições que usam seus lucros - com nossa participação - para banir Cristo do mundo.

Fantástico mesmo deve ser nosso compromisso, nossa coragem de tomar atitudes radicais em situações críticas. E Cristo pode nos dar uma alma sem manchas, como nenhum outro sabão conseguiria!

Muitas serão as trocas que precisaremos fazer daqui pra frente. Precisaremos abrir mão de muitas coisas. Para isso precisamos fortalecer nosso interior com a oração, a frequência aos sacramentos e boa formação religiosa.

Estamos preparados?

André Parreira
Membro da Assessoria Pedagógica da Comissão Nacional da Pastoral Familiar,
professor de Física e consultor em Tecnologia Educacional.
Casado, pai de 7 filhos é também escritor de livros sobre matrimônio e família

Revista Digital

<div id="opt_1"></div>